Há pessoas a morrer para lhe dar de comer camarão

Há pessoas a morrer para lhe dar de comer camarão

Uma investigação do The Ecologist revelou condições de trabalho desumanas vividas por alguns imigrantes birmaneses, que trabalham a bordo de barcos tailandeses que fornecem peixe para as rações usadas no cultivo de camarões. Mais tarde, estes são exportados e consumidos por cidadãos de todo o mundo.

Mais de 250 mil emigrantes birmaneses trabalham na indústria de pesca tailandesa. Investigadores encontraram provas de que alguns dos que trabalham a bordo dos barcos de pesca que operam no Golfo da Tailândia e no Mar de Andamão são explorados durante longos períodos no mar, em condições precárias e potencialmente perigosas.

Emigrantes birmaneses afirmaram que sofreram de desnutrição e que eram espancados se cometessem algum erro na triagem dos peixes. Um pescador chegou mesmo a afirmar que assistiu a um colega ser executado em alto mar: “O capitão pegou na sua arma e disparou contra ele até cair do barco. O meu colega não morreu de imediato, ainda tentou voltar ao barco, mas o capitão deu-lhe outro tiro que o afundou. Já vi isto acontecer duas vezes”.

Especialistas dizem que as condições de trabalho na indústria de pesca mundial são praticamente inexistentes na regulação dos sistemas de certificação de marisco actuais, não existindo uma resolução para a situação dos imigrantes birmaneses que labutam nos barcos de pesca que fornecem peixes para a indústria do camarão.

Foto:  procsilas / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores