Renováveis podem alimentar áreas urbanas da África subsariana

Renováveis podem alimentar áreas urbanas da África subsariana

Dois terços dos habitantes da África Subsaariana não tem acesso a energia, mas um novo relatório sugere que 13,9 biliões de meticais (€355 mil milhões) de investimentos em energia limpa irão trazê-la para os moradores das cidades da região até 2040, caso o potencial existente seja aproveitado

O valor foi atribuído pela Agência Internacional de Energia (AIE) e é muito alto, é certo, mas dá-nos já algumas luzes de como a procura de energia vai crescer nos próximos anos – cerca de 80% só para esta área, devido ao crescimento da economia – vai quadruplicar de tamanho nos próximos 25 anos.

A IEA diz que os recursos de renováveis são mais que suficientes para cobrir esta procura, mas não identifica, porém, onde é que os países irão encontrar o financiamento destas infra-estruturas.

Segundo o Planeta Sustentável, o relatório enfatiza o potencial das energias solar e hidroeléctrica e ainda de eólica e geotérmica, acrescentando que estes recursos são subdesenvolvidos – apenas um décimo do potencial hidroeléctrico está sendo utilizado, por exemplo.

O investimento iria cortar pela metade os apagões e fornecer acesso universal em áreas urbanas, acredita a agência. Esta também afirma que a cooperação regional para trazer projectos de geração de grande escala, comércio transfronteiras e melhor administração dos recursos podem aumentar a economia do subsaara em mais 30% até 2040, criar uma década extra de crescimento em rendas per capita e levar electricidade a mais 230 milhões de pessoas.

Foto: Mafalda Moreira Santos / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores