Por que razão os tubarões não se dão bem com a água doce?

Por que razão os tubarões não se dão bem com a água doce?

Há poucos animais que transitam do seu habitat de água salgada para a água doce, devido a algumas barreiras psicológicas e ecológicas, e um dos que não se sente confortável em fazê-lo é o tubarão. De acordo com um novo estudo publicado no Journal of Experimental Biology, existe uma grande razão para tal acontecer, no que toca ao rei dos mares: provavelmente, ele afogar-se-ia.

De acordo com o estudo, citado pelo IFL Science, os peixes cartalaginosos, como o tubarão, conseguem ambientar-se a qualquer tipo de ecossistema marinho do Planeta, mas poucos evoluíram para ocuparem lagos ou rios. Das cerca de mil espécies de Elasmobranchii – tubarões ou raias – apenas 5% podem viver em regiões de água doce, e mesmo estes durante períodos muito curtos.

Em comparação, 40% dos peixes ósseos, como o peixe-dourado ou a truta arco-íris, vivem em cenários de água doce. De acordo com os pesquisadores, isto acontece devido aos custos metabólicos da osmorregulação – têm de manter a pressão certa ao controlar a água e as concentrações de sal no corpo.

Assim, e enquanto muitos peixes ósseos têm bexigas nadadoras para ajudar a controlar a sua flutuabilidade, a principal fonte da flutuabilidade nos Elasmobranchii é um fígado rico em lípidos.

Por isso, Adrian Gleiss e os seus colegas de Standford desenharam um modelo hidromecânico baseado no tubarão-touro, um dos poucos que vive, durante parte da sua vida, em regiões de água doce.

Os investigadores descobriram que, ao viver na água doce, esta espécie aumentou em duas ou três vezes a flutuabilidade negativa em tubarões e raias, o que traz um custo energético acrescido, porque eles têm de se elevar.

Na verdade, os tubarões poderiam tentar compensar esta flutuabilidade negativa, mas o fígado rico em lípidos teria de ser oito vezes maior, em volume, para manter o mesmo efeito de flutuabilidade que estes têm nas águas marinhas.

Foto: Elias Levy / Creative Commons

Comentários (Facebook):

Deixar uma resposta

Patrocinadores